Logo Kaledo

Quiet Quitting e Turnover: Como Identificar, Prevenir e Lidar com a Desmotivação Silenciosa

Compartilhe:

Você sabe o que é Quiet Quitting e Turnover e qual o seu impacto nas organizações? Quiet quitting é uma expressão que significa que os colaboradores estão desinteressados, desengajados e improdutivos no trabalho, mas não falam nada sobre isso com os seus gestores ou colegas. 

Eles permanecem na empresa, mas não fazem a diferença nos resultados. Esse comportamento pode gerar o turnover, ou seja, a saída voluntária dos colaboradores da organização. 

Já o turnover traz custos financeiros e emocionais para as empresas, que têm que contratar e capacitar novos profissionais, além de perder talentos e conhecimento. Por isso, é essencial identificar, prevenir e lidar com ambos antes que eles gerem problemas maiores. Confira!

O conceito de Quiet Quitting e suas principais causas

Como explicamos acima, o Quiet Quitting é um termo usado para descrever a situação em que um funcionário perde o interesse, a motivação e o comprometimento com o seu trabalho, mas não pede demissão. 

Ele continua na empresa, mas não produz como antes, não se envolve nas atividades e não se comunica com os colegas ou gestores. É como se ele tivesse se demitido mentalmente, mas não fisicamente.

Por outro lado, o Turnover é a taxa de saída e entrada de funcionários em uma empresa. É um indicador de rotatividade de pessoal, que pode ter impactos positivos ou negativos para a organização. 

Um turnover alto pode significar perda de talentos, custos de recrutamento e treinamento, queda na produtividade e na qualidade do serviço. Um turnover baixo pode significar retenção de talentos, estabilidade da equipe, aumento da satisfação e do desempenho.

As principais causas de Quiet Quitting e Turnover podem variar de acordo com o contexto e o perfil dos funcionários, mas alguns fatores comuns são: 

  • insatisfação com o salário;
  • benefícios ou condições de trabalho; 
  • falta de reconhecimento;
  • feedback ou oportunidades de crescimento; 
  • conflitos com os gestores ou colegas; 
  • desalinhamento com a cultura ou os valores da empresa; 
  • estresse, burnout ou desequilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Como o mercado interpreta o Quiet Quitting e Turnover

O mercado pode interpretar o Quiet Quitting e Turnover de diferentes formas, dependendo do setor, da cultura e do perfil dos colaboradores. Algumas possíveis interpretações são:

  • uma forma de protesto contra as condições de trabalho insatisfatórias, que demandam uma revisão das políticas de gestão de pessoas, remuneração e benefícios;
  • uma falta de comprometimento e engajamento dos profissionais, especialmente os mais jovens, que não se identificam com os valores e propósitos da organização;
  • uma consequência da crise sanitária e econômica, que gerou mais estresse, ansiedade e incerteza para os trabalhadores, afetando sua motivação e desempenho;
  • uma oportunidade de repensar o modelo de trabalho atual, buscando formas mais flexíveis, colaborativas e humanizadas de lidar com as demandas e expectativas profissionais.

Estratégias para lidar com a desmotivação silenciosa dos funcionários

Foto de homem desmotivado em seu trabalho.

Para evitar o Quiet Quitting e Turnover e seus problemas, é preciso investir em estratégias para lidar com a desmotivação silenciosa dos funcionários e aumentar a sua satisfação e produtividade. Confira abaixo algumas dessas estratégias.

Estabelecer metas e objetivos claros 

os funcionários precisam saber o que se espera deles, quais são as suas responsabilidades e como serão avaliados. Isso ajuda a dar um senso de propósito e direção ao trabalho.

Valorizar os colaboradores

Reconhecer o esforço e o desempenho dos funcionários é fundamental para mantê-los motivados e engajados. É importante oferecer feedbacks positivos e construtivos, elogiar os acertos, incentivar o desenvolvimento profissional e recompensar os resultados.

Promover uma qualidade de vida no trabalho

O bem-estar dos funcionários é essencial para evitar o estresse, a fadiga e a insatisfação. A empresa deve proporcionar um ambiente de trabalho saudável, seguro e confortável, respeitar a jornada de trabalho, oferecer pausas e momentos de relaxamento, cuidar da saúde física e mental dos colaboradores e equilibrar as demandas de trabalho com as necessidades pessoais. Tais medidas certamente contribuirão para evitar o Quiet Quitting e Turnover.

Propiciar momentos de descontração e diversão

Criar um clima organizacional positivo e agradável é uma forma de combater a desmotivação no trabalho. A empresa pode promover atividades lúdicas, festas, comemorações, gincanas, jogos, entre outras ações que estimulem a interação, a criatividade e o humor dos funcionários.

Usar a tecnologia a favor

A tecnologia pode ser uma aliada para aumentar a eficiência, a flexibilidade e a autonomia dos funcionários. A empresa pode adotar ferramentas digitais que facilitem a comunicação, a colaboração, a organização, o controle e a gestão do trabalho. 

Além disso, pode oferecer opções de trabalho remoto, home office ou híbrido, que permitem aos funcionários trabalhar de forma mais confortável e adaptada às suas preferências.

Melhorar a oferta de benefícios e recompensas

Além do salário, os funcionários valorizam outros benefícios que possam melhorar a sua qualidade de vida e atender às suas expectativas. 

A empresa deve oferecer benefícios atrativos e compatíveis com o mercado, como plano de saúde, vale-alimentação, vale-transporte, auxílio-educação, bônus, participação nos lucros, entre outros. 

Também deve recompensar os funcionários que se destacam com promoções, aumentos ou prêmios. Uma ótima sugestão para combater o Quiet Quitting e Turnover são os Clubes de Vantagens da Kaledo.

Incentivar os colaboradores a dar feedbacks

Além de receber feedbacks dos gestores, os funcionários também devem ter voz para expressar suas opiniões, sugestões e reclamações sobre o trabalho. 

A empresa deve promover uma cultura de feedback aberto, em que os funcionários se sintam à vontade para se comunicar com os líderes e os colegas, sem medo de represálias ou julgamentos. Isso ajuda a identificar e resolver problemas, melhorar processos e fortalecer o relacionamento interpessoal.

Fazer da pausa para o cafezinho uma regra

A pausa para o cafezinho é um momento simples, mas importante para evitar a desmotivação no trabalho, o Quiet Quitting e Turnover. Ela permite aos funcionários descansarem a mente, recarregarem as energias, socializarem com os colegas e tomarem um café ou um chá. 

A empresa deve incentivar os funcionários a fazerem pausas regulares durante o expediente, sem que isso seja visto como perda de tempo ou falta de comprometimento.

Mantendo a equipe engajada e motivada no ambiente de trabalho

Foto de mulher feliz em seu trabalho.

Uma das maiores dificuldades dos gestores é manter a equipe engajada e motivada no ambiente de trabalho. Afinal, o desempenho dos colaboradores depende muito do seu nível de satisfação e comprometimento com a empresa. Mas como fazer isso de forma eficaz e duradoura para? Aqui vão algumas dicas:

  • reconheça os esforços e os resultados dos seus funcionários. Elogie-os publicamente, ofereça feedbacks construtivos e recompense-os de acordo com seus méritos;
  • estimule o desenvolvimento profissional da sua equipe. Invista em treinamentos, cursos, palestras e outras oportunidades de aprendizado. Mostre que você se importa com o crescimento deles e que eles têm potencial para evoluir na carreira;
  • promova um clima organizacional positivo. Crie um ambiente de trabalho agradável, respeitoso e colaborativo. Incentive a comunicação aberta, a troca de ideias e a participação nas decisões. Valorize a diversidade e a cultura da empresa;
  • estabeleça metas claras e desafiadoras. Defina os objetivos da equipe, os indicadores de desempenho e as expectativas de cada um. Alinhe as metas com a visão e a missão da empresa. Desafie os colaboradores a superarem seus limites e a buscarem a excelência;
  • dê autonomia e flexibilidade aos seus funcionários. Delegue tarefas, responsabilidades e poder de decisão. Confie na capacidade e na competência deles. Permita que eles tenham liberdade para escolher como, quando e onde trabalhar, desde que cumpram suas obrigações.

Sinais de alerta e como identificar um possível Quiet Quitting

Foto de mulher meditando.

Existem alguns sinais que podem indicar que um funcionário está desmotivado e insatisfeito com o seu trabalho. Alguns deles são:

  • falta de participação nas reuniões, projetos ou atividades em equipe;
  • redução do desempenho e da entrega de resultados;
  • aumento do absenteísmo e do turnover;
  • baixa interação com os colegas e os gestores;
  • mudança de comportamento, como apatia, irritação ou isolamento;
  • falta de feedbacks ou sugestões para melhorar o trabalho.

Se você perceber algum desses sinais em um funcionário, é importante conversar com ele e tentar entender o que está causando a sua insatisfação. 

Muitas vezes, o Quiet Quitting e Turnover podem ser revertidos com ações simples, como reconhecimento, feedbacks positivos, oportunidades de desenvolvimento, flexibilidade de horários ou mudança de função. O importante é mostrar que você se importa com o funcionário e que ele é valorizado na empresa.

Impactos do quiet quitting e turnover na empresa

O Quiet Quitting pode ter impactos negativos tanto para o colaborador quanto para a empresa. Para o colaborador, pode gerar desmotivação, baixa autoestima, falta de perspectiva de crescimento e perda de oportunidades de aprendizado e desenvolvimento.

Além disso, pode prejudicar a imagem do colaborador perante seus colegas, líderes e clientes, que podem perceber sua falta de comprometimento e engajamento.

Para a empresa, o Quiet Quitting pode afetar a produtividade, a qualidade, a inovação e a competitividade. Também pode reduzir o desempenho dos times, a colaboração entre os funcionários, a criatividade e a solução de problemas. Além disso, implica no aumento do turnover, o absenteísmo e os custos com recrutamento e treinamento.

Conclusão

Neste artigo, vimos o que é o Quiet Quitting e Turnover, uma tendência que surgiu entre os profissionais que estão insatisfeitos com seus empregos e que decidem fazer apenas o mínimo necessário para cumprir suas funções. 

Também vimos como esse fenômeno pode afetar o turnover, ou seja, a rotatividade de pessoal nas empresas, e quais são as principais causas e consequências dessa prática. 

Por fim, apresentamos algumas dicas de como identificar, prevenir e lidar com a desmotivação silenciosa dos colaboradores, buscando melhorar o clima organizacional, o engajamento e a produtividade. E, para ajudar a manter o engajamento e satisfação dos colaboradores da sua empresa, invista em uma solução de recompensas como a da Kaledo!

Gostou deste conteúdo? Aprenda a importância do trabalho em equipe para alcançar grandes resultados!

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Você também pode gostar de:

0
Would love your thoughts, please comment.x